terça-feira, 21 de abril de 2009

A LENDA DA MÃE DA LUA






Trecho de um desabafo da MÃE - da - Lua:

Estou sempre vestida de luto fechado; os meus olhos abertos em um grande ar
de espanto , a vida feita em mim de mil dores acumuladas.
As minhas penas negras, os meus piados lancinantes, o meu vôo rasante, com os movimentos lerdos do meu corpo traduzem a mais profunda tristeza.
Pois no meio da noite trevosa, as minhas asas a gemerem fantásticos terrores, elas produzem ruídos sobressaltantes de rasga mortalha.
Traduzindo assim a maior angústia, que despedaça minha alma em mil pedaços. Ah! mas outrora, em tempos idos, a respirar vida por todos os poros, eu era alegre e folgas .
A mais bela de todas as princesas das selvas. Os meus olhos vivamente iluminados.
Estava cheia de audazes sonhos, e provocava ruidosas libações de amor.

Trechos da peça teatral: A LENDA DA MÃE DA LUA
Autor: JOHN WAYNE ASSUNÇÃO / 1996 / 2000

Um comentário:

Agripina e Agripino disse...

Pintinha, gostei muito dos seus textos e acho que este blog terá muita utilidade em questões visuais para seu trabalho. Sou a primeira seguidora ! Siga o meu também. beijos
Adriana